09 outubro 2011

Especial semana da criança : O cachorrinho Samba - Maria José Dupré




No colo da Vovó, lambendo a orelha dos donos ou brincando com a garotada, o cachorrinho Samba era a alegria da casa. Até o dia em que ele, curioso, recebeu dar uma saidinha... e acabou se perdendo na cidade grande, cheia de perigos, pessoas ameaçadoras e lugares desconhecidos.





    Para começar o nosso especial semana da criança trago um livro que marcou a minha infância, é uma coleção tipo a coleção Vaga-Lume (lembram dela?), só que de um cachorrinho muito fofinho, muito sapeca e que vive várias aventuras. Eu achava o máximo quando o livro que tinhamos que ler era do Cachorrinho Samba, amava! Afinal, qual criança não gosta de cachorro?
     Samba foi ainda filhotinho para a casa de D. Maria e Doutor, era um bolinha de pêlo, pequeno e manhoso como todo filhote claro! Ele recebeu esse nome porque foi recebido na casa nova em pleno carnaval e era o que todos escutava naquele momento, e como ele se remexia muito com seu rabinho felpudo, ficou esse nome: Samba.
    Ganhou um caixote, com algumas cobertas, ali seria seu "bercinho". Eu acho muito fofinho a forma como ele e os outros cachorros fazem para chamar atenção. Choram! Resmungam de forma fininha... Tem como não correr para dar colo?! CLARO QUE NÃO! E era assim que Samba o espertinho conseguia  carinhos. Mas lá tinha um outro cachorro, o Whisky, no livro tem o desenho dele, eu olho para essa imagem e sempre pensei: que metido! Porque gente, ele é todo posudo, pelinho branco, rabo igual espanador e grande!  Quando li a primeira vez eu lembro que pensava: cachorro metido, e hoje não mudei de opinião.
    Samba era o mais carinhoso dos cachorros, Whisky era nariz empinado ai ai cachorro metido , em um belo dia chuvoso todos estão a beira da lareira mas o danado do metido preferiu pular o portão e ir para a rua, e o que aconteceu? Se machucou, e nem deixar que os seus donos cuidassem dos seus ferimentos ele deixou. Eu tô falando que ele é chatinho. Depois de alguns acontecimentos os donos de Whisky resolveram levá-lo para morar na chacará da família. Samba muito do fofo sentiu falta do amigo resmungão.
     O tempo passou Samba cresceu, e um belo e triste dia SAmba se perdeu... A partir daí ele vive várias aventuras, conhece novos amigos... O resto da história você vai ter que ler para saber! Chega de spoiller do meu querido Cachorrinho Samba!
     Existem muitos livros que marcaram a minha infância, o início do meu hábito pela leitura... Lembro com muito carinho dos meus primeiros livros. Acredito e tento passar isso para as crianças que tenho por perto a importância disso, de saber viajar em uma história diferente a cada semana.
    Quando eu li o livro a capa era assim, e cada livro da coleção era de uma cor diferente:


     Toda a coleção




Sobre a autora:

Maria José Dupré, ou Sra. Leandro Dupré como assinava inicialmente seus livros (Botucatu, 1 de maio de 1898 — Guarujá, 15 de maio de 1984) foi uma escritora brasileira, mais conhecida como autora da sua obra-prima, Éramos Seis e pela série de livros infantis sobre o Cachorrinho Samba.

   






Nenhum comentário:

Postar um comentário