27 outubro 2011

O que eu achei de : Ame o que é seu - Emily Giffin

Esta é uma história para quem algum dia já se perguntou: Como amar de verdade a pessoa que está comigo, se não consigo esquecer alguém que ficou no passado? O casamento de Ellen e Andy não parece perfeito, ele é perfeito. São inegáveis a profundidade da devoção mutua e o quanto um desperta o melhor no outro. Mas por obra do destino, certa tarde, Ellen revê Leo pela primeira vez em oito anos. Leo, o que revelou o pior nela. Leo, o que partiu seu coração sem se explicar. Leo, o que ela não conseguiu esquecer. Quando o reaparecimento dele desperta sentimentos há muito adormecidos, Ellen se põe a questionar se sua vida atual é de fato como ela queria que fosse.

    Primeiro quero dizer sobre Ellen. Eu não gostei da Ellen achei ela muito recordar é "quase viver". Pronto, depois do meu momento desabafo vamos lá.
O livro conta história de Ellen, uma menina que perde sua mãe aos 13 anos, mora com seu pai e a segunda esposa dele, e sua irmã Suzanne ( a rainha da sinceridade).
     Nunca deu muita importância para meninos durante o tempo do colegial, pelo que entendi ela era a típica esquisita do colégio (tipo Charlene), e ao término do colegial se depara com uma carta dizendo que foi aceita na universidade (aqui já é mais tipico Charlene). Ela recebe uma carta da sua companheira do dormitório, Margot, querendo saber se ela gostava de edredon rosa ou um tom morto que esqueci o nome. Gente, já comecei a tomar ódio a partir desse momento.
    E a partir da amizade criada entre Ellen e Margot começa a história de amor e dúvidas de Ellen. A protagonista tem um namoradinho na época da faculdade, mas ele é o típico carinha nem ai para términos e para relacionamentos mais firmes, vulgo Léo. Depois de muitos acontecimentos, Ellen e Léo terminam, claro que Margot adora (não ela não tem sentimentos bons por Léo). Nesse exato momento, a vida de Ellen muda. Profissionalmente e sentimental.
     Pois é, achei a Ellen muito confusa e com medo de viver. Eu me senti dentro do Comer, Rezar e Amar mas com uma protagonista sem atitude. É o primeiro livro da Emily que leio, agora mais do que nunca fiquei curiosa para saber como é o Questões do coração. Assim, a escrita da Emily não é ruim, mas eu pessoalmente achei o livro muito devagar e que fala a mesma coisa da primeira ate a última página. Foi muito cansativa a leitura.
     Muita gente ama esse livro, mas eu sinceramente não gostei. Mas não vou dizer que a autora é ruim, longe de mim, até porque não conheço outros livros dela. Mas vou dar chance para o Questões do Coração.
   

2 comentários:

  1. Ganhei esse livro na Bienal do RJ. Antes eu tinha muita vontade de ler os livros da Emily, mas li O Noivo da Minha Melhor Amiga e não gostei tanto, então fico com o pé atrás. Se não fosse pelo empurrãozinho que recebi para Questões do Coração, acho que ele passaria anos na pilha, rs. Sério que um livro com tão poucas páginas consegue ser cansativo?

    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Sou MUITO fã da Emily e gosto de todos os livros que li dela. Li quase todos. Engraçado que Ame o que é seu é o que menos gosto. Acho bom, mas nada grandioso.

    Eu gosto da Ellen, apesar de tudo.

    Beijos!

    ResponderExcluir