29 novembro 2011

O que eu achei de : Marsha Mellow e Eu - Maria Beaumont [Clube das Chocólatras - BH]

Amy escreveu um bestseller - o romance definitivo sobre sexo, drogas e rock´n´roll... só que sem as drogas e o rock´n´roll. Ela deveria estar curtindo o dinheiro, a fama e a matéria de oito páginas na Hello!. Em vez disso, faz aquilo em que é mestra - se esconde por trás do seu pseudônimo, Marsha Mellow. Talvez sua vida fosse mais fácil se ela conseguisse contar a verdade para a mãe. Mas a mãe de Amy sequer desconfia que a filha é uma fumante inveterada. Conseqüentemente, jamais poderia sonhar que a sua menina inocente é, na verdade, a autora do livro mais escandaloso da temporada. Mas por quanto tempo Amy conseguirá se esconder, ainda mais agora que os tablóides deram início a uma verdadeira cruzada para descobrir a verdadeira identidade de Marsha Mellow?
       Ainda não sei bem o que dizer desse livro, o inicio da leitura foi um pouco confusa para mim. Não sei se devido as muitas informações misturadas, ou se pelo momento que eu passava. Mas a medida que fui lendo, foi clareando a lamparina da minha memória.
      O livro conta a historia de Amy, uma mulher que não tinha uma vida interessante (parece clichê de livros), largada do seu visual, e que levava a vidinha mais pacata do mundo trabalhando como repórter em uma agência. Isso é um ponto que ficou confuso para mim, a família de Amy é árabe? Ou eu viajei na batatinha? Ela tem uma mãe daquelas ditadoras, quase uma Hi Hitler, tem uma irmã que sempre namora mas só seres estranhos e com uma pequena ficha na policia, mas agora surpreende a família com um namorado que quer levá-la para Hong Kong. O pai tem uma fabrica de cabides, eu nunca pensei ler que alguém fabricava cabides.
       Mas a história começa aqui, quando Amy arruma um "namorado" maniaco sexual" (para mim só pode ser), que é um autor de sucesso com histórias de literatura fantástica. O cara gosta de sexo de ponta cabeça no lustre, com isso Amy vive algumas experiencias malucas sexuais. Só que o relacionamento não da certo, e a partir dai a vida de Amy muda, mas muda totalmente! Ela, com raiva desse namorado, escreve um livro contando as aventuras sexuais da uma mulher, mas detalhe: a mulher na verdade é Ant, seu amigo gay que foi para NY, e tem mais experiências sexuais que um ator de filme pornô. Outro detalhe, como a mãe de Amy é conservadora, ela sempre disse para a mãe que Ant tinha ido para Y para virar padre. Só se for padre...
       E Amy extrapolando sua raiva, escreve o romance pornô que acaba virando o mais lido... Aquele que todo mundo quer ler, e causa preocupação ate para JK Rowling, eu achei um exagero mas fazer o que né? Rapidamente os livros somem da prateleira e a vida de Amy vira de ponta cabeça. Muito dinheiro, muitos acontecimentos, revelações, reencontros... E até mesmo um novo amor!
       Eu até gostei do livro, é divertido, mas achei as ideias um pouco confusas no inicio. O que quase me fez desistir. Mas é uma leitura bacana para quando você está de ressaca literária e procura um livro leve e com leitura engraçada. 
       No inicio é confuso, mas depois de umas 50 páginas você começa a sentir mais a história. Ai a leitura flui, li boa parte dele enquanto esperava o namorado para ver o filme Amanhecer (diga-se de passagem quase 2 horas). Mas no geral, eu gostei da escrita da autora. E quero muito ler outros livros dela.      




2 comentários:

  1. Parece divertido mesmo. Que pena que o inicio é confuso, deve ser muitas informações juntas mesmo.
    Não é um livro que eu compraria para ler, mas se eu ganhasse está valendo =D.

    ResponderExcluir
  2. Ei Charlene!

    Eu tb achei o livro divertido, mas esperava mais.

    Eu queria ter lido alguns trechos do livro picante dela...kkkk

    Faltou só você lá ontem.

    Bjins

    ResponderExcluir