07 dezembro 2011

O que eu achei de : Chantilly - Mare Soares

Um diário foi escrito. Catherine Aragon, numa atitude desesperada, escreve suas recordações em busca de socorro. Somente dez anos depois suas palavras foram ouvidas por um renomado cientista. Ethan Stuart, um homem com pouco carisma, toma as rédeas da situação para tentar ajudá-la. Ele contará com a ajuda de personagens suspeitos: o exótico Leon Saiter, um alcoólatra sem muita perspectiva, que arriscará a própria vida para obter êxito na resolução do caso, e a interessante Anabelle, que vive um dilema dentro de si onde questionará suas verdades e seus valores. A tríade investigadora conclui a soma dos catetos, tornando Chantilly um dos desafios mais intrigantes do seu viver. Mergulhe nesta aventura, em um ambiente noir, repleta de mistérios a serem desvendados numa cidade onde as pessoas perderam as lembranças.                                                                                                                                                           

    O que dizer do Chantilly? Não sei! Eu comecei a ler com muita expectativa, ele foi adquirido através de uma troca no Skoob já há algum tempo. Agora nessa correria de final de ano resolvi ler, sentei e fui lendo... Lendo... Mas, a primeira impressão foi de uma confusão literária. Pelo que deu para entender, o livro é uma mistura de cartas com diário. Eu achei muito confuso o começo, mas muito mesmo. 
    O livro conta a história de Catherine, Ethan, Leon. Toda a trama se passa na cidade de Chantilly, onde toda a cidade foi tomada por uma epidemia que fez com que seus habitantes caissem no esquecimento. Toda a cidade perde a memória achei essa parte meio trash. E dez anos depois Ethan, um cientista, encontra o diário de Catherine e se interessa pela história da perda de memória da moça. 
     Nesse momento, eu senti  Catherine uma idiota! Desculpe, mas assim que eu a imaginei. O cara quer ajudá-la, devolver seu diário e ela fica naquele: Não posso, pois não estou com boa aparência. Nem comento!
        Inicialmente, o que me atraiu foi a capa e o que as pessoas falavam no Twitter. Mas, não me convenceu. Dei chance para a leitura, mas enfim... Resumindo, achei uma história um tanto quanto confusa. Não me chamou atenção, não me atraiu. É complicado falar assim de um livro, ainda mais nacional. Deixando bem claro que essa é a minha opinião pessoal.



Um comentário:

  1. Que pena que o livro é confuso. Ainda não tive a oportunidade de ler. Gosto da capa. Achei legal a parte do esquecimento, mas não sei como a autora colocou isso na trama, então não posso opinar, bjs.

    ResponderExcluir